Peroba Rosa de demolição: curiosidades sobre a matéria-prima preferida para móveis rústicos

Cada vez mais procurada para a confecção de mobiliário rústico, a peroba rosa é uma opção que agrega beleza e sustentabilidade

Quando se fala em móveis rústicos, é praticamente impossível não estar falando de madeira de demolição. E, caso essa seja a sua escolha de fato, vale a pena optar pela Peroba Rosa, material que vem conquistando cada vez mais a preferência de decoradores. A madeira tem uma durabilidade incrível, é resistente, não empena e não sofre com ataques de cupins. Além disso, tem uma beleza exclusiva, trazendo todo o charme e beleza para a decoração da sua festa.

Por que escolher Peroba Rosa?

A palavra “rústico” pode significar algo tosco, bruto, mas não é sinônimo de desleixo ou de pobreza. Em sua essência, o termo se relaciona também com o campo e à vida campestre, onde os ambientes e os objetos tendem a ser mais simples. Em decoração o que remete à rusticidade são os materiais que apresentam uma textura mais natural e, nesse sentido, a peroba rosa tem destaque mais do que especial.

A madeira de demolição é conhecida não apenas por ser mais sustentável, mas também por suas texturas, que dão um charme a mais se comparada às outras matérias-primas. Uma tábua de peroba rosa tem ranhuras evidentes que dão ainda mais destaque, além de trazer o aspecto natural — e rústico — da madeira.

De onde vem a Peroba Rosa de demolição?

A madeira de demolição mais comercializada atualmente é a peroba rosa de demolição, matéria-prima proveniente da região sul do país, onde se fazia uso em massa desta madeira na construção civil, tanto na estruturação quanto nos revestimentos, inclusive no fechamento de paredes internas e externas das arquiteturas.

No meio do século XX, com a alta da agricultura do café, a zona rural da região sul tinha a maioria de suas famílias fazendo o cultivo do café em pequenas propriedades e, com isso, foram construídas casas em grande quantidade nas fazendas e nas pequenas propriedades, além dos casarões dos senhores fazendeiros, geralmente grandes construções, mais robustas e imponentes, todas utilizando-se da peroba rosa. Para o armazenamento do café existia também grandes galpões, chamados de tulhas, onde o café era colocado em processo de secagem.

Como trata-se de madeira de demolição — reaproveitadas de obras demolidas e muito antigas em projetos novos, com aspecto e uso totalmente diferentes dos originais —, os benefícios de se usar a peroba rosa em mobiliários são diversos. Além da beleza do material, temos o apelo social que estamos vivendo no momento, com relação a preservação do planeta e ao uso de produtos sustentáveis.